Arquivo da tag: Meio ambiente

Complexo Porto Sul

O caso do Complexo Porto Sul é um dos mais emblemáticos do embate infraestrutura X meio ambiente no Brasil. O projeto envolve a implantação de um complexo logístico em Ilhéus para escoar minério de ferro, com a construção de um porto público e de um terminal privativo, que seriam ligados à uma mina em Caetité pela Ferrovia de Integração Oeste-Leste (FIOL), uma obra do PAC.

A área onde se prevê construir o complexo portuário tem importância planetária no que tange a sua megabodiversidade e é reconhecida pela Unesco como Reserva da Biosfera da Mata Atlântica.

O traçado previsto para a FIOL passa por diversas unidades de conservação ambiental. Sua construção e seu funcionamento afetarão diretamente espécies da fauna e da flora que estão sob o risco de extinção, comunidades quilombolas, áreas indígenas, populações tradicionais, cavernas, áreas úmidas, sítios arqueológicos e outros bens de extrema importância ecológica.

Já a mina de ferro, destruirá uma parte importante e essencial do patrimônio espeleológico da região e do país.

O Complexo trará sérios impactos socioambientais e econômicos: afetará o turismo, dentre outras atividades da região como a pesca e cacauicultura, além de representar uma gravíssima ameaça para essa região de extrema riqueza natural, histórica e cultural.

Dessa maneira, diversas organizações, sob orientação de Fabio Feldmann, vêm trabalhando no questionamento do Complexo Porto Sul e também na construção de alternativas sustentáveis para o Sul da Bahia.

Outras publicações

Agenda política do século XXI e a depressão – 26/08/2014

Pagamento por serviços ambientais: uma esperança que se cumpre – Revista Opiniões – Junho – Agosto 2013

O amianto precisa ser banido – Jornal O Globo – 23/03/2013

O Impacto do Mercúrio na Saúde do Brasileiro - Jornal O Globo – 27/02/2013

É hora de reconhecer a crise e dar respostas: o que se espera do Brasil na Rio + 20 – Revista Interesse Nacional – 16/07/2012

É hora de reconhecer a crise e dar respostas – Folha de São Paulo – 05/06/2012

Ameaça sobre o legado de Jorge Amado – Folha de São Paulo – 28/03/2012

A vida fora dos partidos políticos – Folha de São Paulo – 28/06/2011

O desafio da sustentabilidade – Revista Opiniões – Junho – Agosto 2009

Brasil: vilão ou líder? – Revista Opiniões – Março – Maio 2008

 

Sustentabilidade planetária, onde eu entro nisso?


Com discurso provocativo, Sustentabilidade planetária, onde eu entro nisso?
oferece uma análise sobre as principais questões ambientais em discussão atualmente no mundo

O ambientalista e consultor Fabio Feldmann lançou seu primeiro livro solo sobre tema que o destacou como personagem de relevância nacional e internacional. Sustentabilidade planetária, onde eu entro nisso? publicado pela Terra Virgem Editora, dispõe de forma didática e atualizada a situação do planeta e faz um convite para conhecermos melhor as causas e consequências do impacto das ações humanas na natureza.

 

Apoiado em imagens eloquentes de diferentes fotógrafos e ilustrações do designer Ciro Girard, o ambientalista leva os leitores a refletirem sobre como a humanidade está gerenciando o planeta, impactando os recursos naturais e gerando poluição, reforçado pela reunião de dados e estudos recentes de instituições brasileiras e internacionais. “A convivência do homem com o planeta deve ser revista sob todos os pontos de vista: desde o individual, das ações cotidianas, até os comunitários e empresariais, pautada por uma postura mais responsável e educativa”, afirma Feldmann, que também usa o livro como um chamamento ao que ele considera o maior desafio da humanidade. Por esta razão, a capa do livro faz alusão à célebre foto da conquista de Iwo Jima na Segunda Guerra Mundial.

 

Entre os assuntos abordados estão a questão da água, da poluição, das grandes cidades, das queimadas, das doenças, da fome e da sustentabilidade empresarial. A partir de questionamentos objetivos o autor encaminha uma reflexão sobre os reais desafios da humanidade e propõe, de forma provocativa, um caminho de transformação inovador para um futuro responsável.

“O mais importante nesse trabalho é reconhecer que os temas tratados alcançaram tal complexidade que encontrar um balanço entre transmitir conteúdos sem perder consistência se tornou algo extremamente difícil. Além disso, temas como o aquecimento global são portadores de tamanha magnitude que motivar as pessoas a fazerem a sua parte e compreender que a sua atitude na sua esfera pessoal faz a diferença, parece ser a grande lição do ambientalismo contemporâneo” finaliza Feldmann.

 

O livro é apresentado pelo Ministério da Cultura com patrocínio do Banco Safra, Razzo e Bioenergias e apoio da Indústria Gráfica Brasileira, Vivi Kanô – Branding Olfativo, IFF e Arcade Marketing Latin America.

Sobre a Editora – Especializada em Brasil e em fotografia, a Terra Virgem Editora valoriza em suas publicações o imenso patrimônio natural e cultural do país. São livros que reúnem conteúdos precisos e linguagem simples com ênfase na informação visual. Entre os títulos da editora destacam-se a série Fotógrafos Viajantes, a série Brasil Aventura, um grande sucesso editorial, com 6 volumes e mais de 50 mil livros vendidos; a coleção Tempos do Brasil sobre a história natural e a ocupação humana das paisagens mais fascinantes do país, além de diversos livros autorais de fotógrafos como Pedro Martinelli, Lucille Kanzawa, Roberto Setton, Klaus Mitteldorf e Ricardo Teles, entre outros.

Vídeos sobre o Lançamento do Livro:

 

Recomendamos

Links relacionados:

Agência Nacional de Energia Elétrica – http://www.aneel.gov.br

All Energy – UK – http://www.all-energy.co.uk/

American Wind Association – http://www.epa.gov/cleanenergy/

Avaliação do Milênio – http://www.maweb.org/en/index.aspx

Banco Mundial – http://www.bancomundial.org.br

Biodiversity Hotspots – http://www.biodiversityhotspots.org/

Bioclimático – http://www.bioclimatico.com.br

Biosfera – http://www.ecositebr.bio.br
Câmara – http://www.camara.gov.br/

Carbono Brasil – http://www.carbonobrasil.com

CDM Watch – http://www.cdmwatch.org/

Centro Clima – http://www.centroclima.org.br/

Centro de Estudos em Sustentabilidade – http://ces.fgvsp.br

Clean Energy – Governo do Canadá – http://cleanenergy.gc.ca/

Climate Change Calculator – http://www.climcalc.net/

Climate Change Knowledge Network – http://www.cckn.net/compendium

Climate Change Solutions: http://www.climatechangesolutions.com/

Climate Network – http://www.climatenetwork.org/

Climate Trust – http://www.climatetrust.org/

Climate Science – http://www.climatescience.gov/

Coalition for Environmentally Responsible Economics – http://www.ceres.org

Conservação Internacional – Brasil – http://www.conservation.org.br

Conservation International – http://www.cepf.net/

Dow Jones Sustainability Indexes – http://www.sustainability-indexes.com

Earth Negotiation Bulletin – http://www.iisd.ca/

Eletrobras – http://www.eletrobras.gov.br/procel

Environment Protection Agency dos EUA – http://yosemite.epa.gov/

Fórum Brasileiro Organizações Não Governamentais e Movimentos Sociais para o Meio Ambiente e Desenvolvimento – http://www.fboms.org.br

Funbio – http://www.funbio.org.br

G8 – Gleneagles – http://www.g8.gov.uk/servlet

Global Reporting Initiative – http://www.globalreporting.org

Greenpeace – http://www.greenpeace.org

Grupo de Trabalho Amazônico – http://www.gta.org.br/

Instituo de Pesquisa Ambiental da Amazônia – http://www.ipam.org.br

Instituto Akatu – http://www.akatu.net

Instituto Ethos – http://www.ethos.org.br

Intergovernmental Panel on Climate Change – http://www.ipcc.ch/

IUCN – http://www.iucn.org/

Ministério da Ciência e Tecnologia – http://www.mct.gov.br/clima/

Ministério das Relações Exteriores – http://www.mre.gov.br

Ministério do Meio Ambiente – http://www.mma.gov.br/biodiversidade/

Ministério Minas e Energia – http://www.mme.gov.br
National Geographic – http://news.nationalgeographic.com/

Observatório do Clima – http://www.clima.org.br

OECD – Organisation for Economic Co-operation and Development – http://www.oecd.org/department

ONU – http://biodiversity.uno.edu/

Pew Climate – http://www.pewclimate.org/

PNUD – http://www.undp.org

Point Carbon – http://www.pointcarbon.com/

Sabesp – http://www.sabesp.com.br

Secretaria do Meio Ambiente de São Paulo -  http://www.ambiente.sp.gov.br

Senado – http://www.senado.gov.br

SustainAbility – http://www.sustainability.com

The Global Invasive Species Program – http://www.gisp.org/

UNEP – United Nations Environment Program – http://www.unep-wcmc.org

United Nations Framework Convention on Climate Change -http://unfccc.int

World Business Council for Sustainable Development – http://www.wbcsd.ch

World Resources Institute – http://www.wri.org

WorldBank – http://lnweb18.worldbank.org

WWF – http://www.wwf.org.br

Projetos de nível nacional e internacional

A Fabio Feldmann Consultores, através da vasta experiência de seu principal sócio, Fabio Feldmann, elabora, coordena e/ou orienta projetos na área ambiental e de desenvolvimento sustentável, tanto nacionais quanto internacionais. Tais projetos visam, principalmente, a excelência da gestão ambiental e a disseminação dos princípios de desenvolvimento sustentável nas empresas e organizações da sociedade civil.

Esta orientação pode ser relativa a diversos aspectos do projeto, como por exemplo:

  • Legislação ambiental, políticas públicas e normas brasileiras aplicáveis ao projeto;
  • Funcionamento e procedimentos adotados nos diversos órgãos públicos, com ênfase nos ambientais, que estejam relacionados ao andamento do projeto;
  • Práticas e processos brasileiros, entre outros.

Projetos especiais nas áreas de meio ambiente e desenvolvimento sustentável

A Fabio Feldmann Consultores orienta e coordena projetos especiais que visam a excelência da gestão ambiental e a disseminação dos princípios de desenvolvimento sustentável nas empresas e organizações da sociedade civil.

Através de tais projetos, que são formulados de acordo com as demandas específicas de cada caso, torna-se possível às diferentes organizações que introduzam em seus processos e rotinas, práticas antes desconhecidas, o que tem o potencial de agregar valor à sua marca e produtos. Estes projetos podem ser implementados em setores e áreas específicas das empresas e organizações ou nelas como um todo, de acordo com o objetivo final a ser alcançado.

Responsabilidade corporativa

Para uma empresa, a responsabilidade corporativa pode ser um bom caminho para melhor administrar seus riscos, uma vez que entre os seus princípios estão a transparência e o diálogo. A comunicação com os diferentes stakeholders é importante para a identificação de problemas comuns e a busca de soluções conjuntas.

A responsabilidade corporativa também é facilmente relacionada a outros aspectos positivos resultantes da adoção desta postura pelas empresas:

  • a imagem institucional e a marca são valorizadas;
  • há maior lealdade de todos os stakeholders e maior capacidade de recrutar e manter talentos;
  • melhor administração dos riscos, maior estabilidade e portanto mais longevidade.

A ampliação da responsabilidade social das empresas não exclui o seu objetivo natural, que é o crescimento através do lucro. Mas preferencialmente o lucro saudável, em longo prazo, com riscos minimizados, que a atuação sustentável e socialmente responsável permite gerar.

Adotar integralmente a responsabilidade corporativa implica em mudanças profundas nas organizações. O processo de integração da responsabilidade corporativa na gestão empresarial pode ser facilitado através da utilização de uma série de ferramentas e normas obtidas através de amplos diálogos entre os diferentes stakeholders da empresa.

A fim de engajar as organizações neste processo, a Fabio Feldmann Consultores oferece seus serviços de facilitação e coordenação de tais diálogos e gerenciamento e monitoramento da implementação dos princípios e diretrizes da responsabilidade corporativa nas empresas, auxiliando na caminhada rumo à sustentabilidade.

Terceiro setor

Fabio Feldmann, desde o inicio de sua vida acadêmica e profissional, tem participado de inúmeras organizações da sociedade civil. Primeiramente, foi consultor jurídico da Associação Paulista de Proteção à Natureza (APPN) e, em 1980, fundou com outros ambientalistas a OIKOS – União dos Defensores da Terra, entidade da qual iria se tornar presidente alguns anos depois. Entre suas bandeiras mais importantes estava a luta contra a poluição de Cubatão. Sua primeira vitória foi a criação da Associação das Vítimas da Poluição e das Más Condições de Vida em Cubatão.

Mais tarde, foi o fundador da SOS Mata Atlântica da qual foi também o primeiro presidente, do Instituto GEA – Ética e Meio Ambiente e da Fundação Onda Azul. Além disso, atua como conselheiro na The Nature Conservancy Brasil, na Amigos da Terra – Amazônia Brasileira, no Instituto Akatu, no Centro de Estudos em Sustentabilidade da Fundação Getúlio Vargas – GVces e na própria SOS Mata Atlântica. Foi membro do primeiro conselho do GRI (Global Reporting Initiative), do Grupo Especial para a Rio+10 da IUCN (International Union for Conservation of Nature and Natural Resources) e é membro o conselho da ONG internacional Ecological Footprint. Participa também dos Conselhos Editoriais da Revista Horizonte Geográfico, da Revista Direito Ambiental (Revista dos Tribunais) e da Revista Página 22.

Fundou, com outros 40 ambientalistas, em 1999, o Instituto Pró-Sustentabilidade, ONG dedicada a ações de educação ambiental.

Em 2000, em uma iniciativa conjunta com o então Presidente Fernando Henrique Cardoso, criou o Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas com o objetivo de disseminar e engajar as diferentes esferas da sociedade (sociedade civil, governo e iniciativa privada) na discussão sobre o tema das mudanças climáticas e principalmente preparar o presidente da República para tratar deste tema. Fabio Feldmann atuou como seu secretário-executivo até o ano de 2004, organizando uma série de eventos e reuniões para capacitar os vários atores.

No início do ano de 2005, Fabio Feldmann assessorou a criação do Fórum Paulista de Mudanças Climáticas Globais e de Biodiversidade, iniciativa do Governo do Estado de São Paulo, que segue parte do modelo proposto pelo Fórum Brasileiro, porém agrega um relevante tema em sua agenda: a conservação da biodiversidade. O Fórum Paulista procura estabelecer uma sinergia entre os dois temas, agregando não somente a Convenção Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas e a Convenção sobre Biodiversidade, mas também outras convenções que versam sobre os assuntos. Além disso, o Fórum apresenta objetivos mais específicos, como a capacitação da sociedade civil para participar das COPs (Convenção das Partes) nos dois temas; capacitação da iniciativa privada para elaborar projetos utilizando MDL e a elaboração de políticas públicas sobre os dois temas. Fabio Feldmann foi o primeiro secretário-executivo do Fórum Paulista de Mudanças Climáticas Globais e Biodiversidade.